Prontuário eletrônico pré e pós operatório
bariatrica
Procedimentos
Hrnia Inguinal


A hérnia inguinal é o abaulamento (aumento de volume) que aparece na região da virilha quando se faz esforço físico e, se não tratada, pode prolongar-se nos homens até a bolsa escrotal.


Este tipo de hérnia é mais comum no sexo masculino. Na criança, é devido ao não fechamento de um canal que existe pela passagem dos testículos do abdome até a bolsa escrotal.


No adulto, a hérnia pode ainda ter a mesma causa da criança, mas na maioria dos casos, é devido a uma fragilidade, uma fraqueza da parede abdominal.


Sintomas


Variam muito de pessoa para pessoa. Pode ser apenas um "caroço ou bola" que aumenta com a contração do abdome no esforço ou quando se está em pé, sem causar dor ou desconforto.


Pode ainda haver dor em queimação no local causada pela distensão de uma membrana que existe no abdome que se chama peritônio. Ou ainda dor na região da bolsa escrotal.
A hérnia pode conter alças intestinais no seu interior, causando por vezes obstrução do sistema digestivo com consequências muito graves.

 


Condições Associadas

 

Obesidade

 

Os obesos, devido ao aumento da pressão abdominal têm tendência maior a desenvolver hérnias.

 

Obstipação (prisão de ventre) e prostatismo (dificuldade para urinar por próstata aumentada): são condições que também aumentam a pressão abdominal, impelindo o conteúdo do abdome para formar a hérnia. Com a idade, essas duas condições se associam a uma parede abdominal mais fraca, permitindo a formação das hérnias. Se os sintomas de obstipação ou prostatismo forem muito intensos, é necessário seu tratamento antes da correção da hérnia.

 

Tabagismo ou Doenças pulmonares: pacientes tossidores crônicos têm também aumento da pressão abdominal em surtos e, em um destes, pode haver a formação da hérnia.
Pessoas que fazem muito esforço físico (no trabalho ou laser) podem ao longo dos anos, por aumentar a pressão intra-abdominal, desenvolver hérnias.

 


Tratamento

 

Não existe formas de tratamento clínico das hérnias. Uma vez feito o diagnóstico, seu tratamento cirúrgico deve ser instituído assim que possível. A razão para tal conduta baseia-se no fato de que quanto mais tempo demorar-se para tratar o defeito, maior ele ficará e os riscos de complicações aumentam proporcionalmente.

 

O tratamento cirúrgico das hérnias inguinais remonta a milênios. Inúmeras evoluções e propostas técnicas permitiram uma adequada terapêutica da hérnia, com reduzido grau de recidiva.

 

Até hoje esse tema é calorosamente debatido em congressos e cursos, uma vez que os profissionais da área ainda se confrontam com desagradáveis índices de recidiva.

 

Nestes últimos anos, um crescente número de técnicas começou a utilizar próteses, no intuito de obter resultados permanentes, já que as técnicas habituais, apesar de apresentar bons resultados de forma imediata, cursam com recorrência de 5% a 20%, depois de cinco a dez anos de evolução.

 

Pode-se dizer que há mais de 20 anos, todos os adultos que são operados de hérnia inguinal, deverão ser submetidos a correção cirúrgica com prótese (material sintético que servirá de reforço definitivo no local da fraqueza)

 

Cirurgia Videolaparoscópica

 

O surgimento da vídeo-laparoscopia cirúrgica, no final da década de 80, apresentou excelentes resultados no tratamento de doenças como pedra na vesícula, apendicite, esofagite de refluxo e etc., sempre associados à baixa morbidade e confortável pós-operatório. Este fato também abriu perspectivas para a busca de um novo tipo de abordagem e terapêutica das hérnias inguinais.

 


Cirurgia Vídeolaparoscópica da Hérnia Inguinal


O método consiste na utilização dos equipamentos e instrumentos de vídeolaparoscopia para abordar a hérnia pelo interior da cavidade abdominal. Para tanto, são utilizados apenas três orifícios pequenos para colocação dos trocartes (tubos finos e valvulados que permitem a passagem de instrumentos delicados para o interior da cavidade abdominal). Através deles colocamos uma micro-câmera com fonte de iluminação acoplada e dois instrumentos de fino calibre para realizar a cirurgia.

 

 

Hérnia Inguinal (Visão Laparoscópica - Interna)

 

O defeito herniário é corrigido com o emprego de telas de excelente material sintético com grau desprezível de rejeição. A fixação dessa prótese é feita por meio de um grampeador que utiliza clipes de titânio.

 

A presença da tela promove a rica proliferação de fibroblastos entre suas malhas, fortalecendo de forma definitiva a parede abdominal no local previamente enfraquecido.

 


Fixação da Tela com Endogrampeador de Hérnia

 

O paciente nada vê ou percebe por fora mas interiormente adquiri um reforço muito poderoso.

 

Pode-se afirmar que as raras recidivas (volta da hérnia) descritas na literatura médica foram decorrentes da má aplicação da técnica (telas pequenas ou mal colocadas).
Dessa maneira, pode-se afirmar que a correta obediência aos princípios técnicos oferecem resultados permanentes.

 

O método pode ser aplicado a praticamente em todos os tipos de hérnia da região inguinal. Os maiores benefícios dessa técnica são observados em pacientes obesos, portadores de hérnias recidivadas, hérnias bilaterais e grandes hérnias. Além desses, pacientes que realizam esforços físicos diariamente como esportistas, trabalhadores braçais, etc.

 

No pós-operatório, os pacientes relatam um grau mínimo de dor no local, o que permite uma deambulação (andar) precoce e confortável. A permanência hospitalar é de no máximo 24 horas (frequentemente podem sair no mesmo dia da cirurgia) e, a volta às atividades físicas moderadas já é possível em até 72 horas, como dirigir automóvel, por exemplo.

 

Temos verificado na prática cirúrgica uma baixíssima morbidade e ausência de recidivas desde a introdução do método. A vídeolaparoscopia trouxe enormes benefícios a um grande número de pacientes portadores de hérnias inguinais. Daí ser largamente recomendada, sobretudo devido aos inúmeros resultados positivos alcançados.

 

Não devemos nos esquecer que técnicas convencionais (via aberta com corte na virilha) ainda têm sua aplicação, em especial em situações onde o paciente não pode receber anestesia geral por apresentar doenças cardio-pulmonares graves.


Benefícios da Cirurgia Vídeolaparoscópica

 

Menor trauma cirúrgico, redução do número de complicações na ferida cirúrgica, diminuição no uso de antibióticos e analgésicos, rápida recuperação pós operatória, curta permanência hospitalar, rápido retorno ao trabalho e recidiva (retorno da hérnia) próxima de zero.

 

 

Orientação Médica Após Cirurgia de Hérnia Inguinal por Vídeolaparoscopia

 

ANALGÉSICOS 

 

Sua cirurgia foi realizada por vídeolaparoscopia provocando pouca agressão mas, dor leve no local onde era a hérnia ou mesmo nas pequenas cicatrizes é normal nos primeiros dias.
Lembre-se você passou por uma cirurgia e um pouco de dor ou desconforto é normal no pós-operatório.


DIETAS

 

Sua cirurgia não exige nenhum tipo de dieta especial mas, lembramos que comer alimentos saudáveis, mastigar bem e alimentar-se com porções menores várias vezes ao dia sempre é bom para todos.


PRIMEIROS DIAS

 

Evite fazer esforço físico excessivo pois poderá sentir algum desconforto maior e colocar sua cirurgia em risco. Pode caminhar normalmente (evite o sol forte) e dirija seu veículo só a partir do momento em que se sentir seguro e sem riscos de acidentes por dor ou mal estar geral. Habitualmente isto ocorre a partir do terceiro dia de pós- operatório sem problemas.
Coloque uma bolsa de gelo por 40 minutos várias vezes ao dia no local onde era a hérnia ou mesmo na região umbilical. Isto pode aliviar dor e evitar inchaço. Faça isto nos dois primeiros dias em casa.

 

LAXANTES

 

Caso seu intestino não funcione pelo período de dois ou três dias, poderá tomar um laxante suave. Outra opção será usar um supositório ou injetar uma bisnaginha por via retal.
É muito comum os gases intestinais incomodarem após a cirurgia. Evite o açúcar, leite, creme de leite, bolos, chocolates ou doces.


ATIVIDADES FÍSICAS

 

Os seus cortes foram pequenos e não deverão apresentar problemas, mas lembre-se que foi colocada uma tela interna no local da hérnia que precisa cicatrizar.

 

Não faça força ou carregue peso acima de 15 quilos no primeiro mês.
Poderá caminhar, isto não lhe fará mal.
Não pratique esportes ou faça abdominais pelo período de até 3 meses após a cirurgia pois isto aumentará a pressão na área operada podendo danificá-la.

 



desenvolvido por:
ENDOCAD - Centro de Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo
© 2021.Todos os direitos reservados.